Exposição de peças feitas a partir de sucata chega ao Via Vale Garden Shopping

material_total_design_Baner site

Obras de arte foram feitas por um grupo de artistas de Taubaté e mostram como a criatividade pode reaproveitar materiais descartados em depósitos de sucata da cidade

 O olhar apurado precisa ir além das aparências. Para encontrar a peça perfeita, a sensibilidade nasce espontaneamente e revela a alma do artista. Garimpada feito um cobiçado tesouro, a sucata mostra sua riqueza bruta, pronta para ser lapidada por talentosas mãos. O empresário Sidnei Santos reuniu os melhores profissionais das áreas de design, ferramentaria, arquitetura e artes plásticas do Brasil e criou um projeto em Taubaté que reaproveita materiais descartados em depósitos de sucata e transforma em móveis e peças de design funcionais e decorativas. O resultado final das obras impressiona pelo cuidadoso e requintado acabamento. “Quando estamos diante daquele amontoado de resíduos, que levaria séculos para se decompor na natureza, temos ali o nosso primeiro desafio: encontrar uma nova funcionalidade para aquelas peças consideradas lixo. Por isso, a criatividade é a nossa matéria-prima nesse fascinante processo de transformação. Provamos que a sucata só precisa de uma nova oportunidade para renascer em uma nova forma, uma arte exclusiva”, diz Sidnei.

O projeto, batizado de “Total Design Art”, nasceu em fevereiro deste ano. Inicialmente, a ideia era criar uma oficina para customizar motos, mas logo os rumos dessa parceria mudaram e o grupo decidiu partir para uma proposta sustentável relacionada a itens de decoração e mobiliários. O Sidnei divide o ateliê, que fica na estrada do Barreiro, com outras quatro feras da área: André Maeda, designer e especialista em pinturas especiais, Vagner Cunha, designer e ferramenteiro, Ralf Santos, arquiteto e técnico em eletrônica, e Paulo Saloni, artista plástico e especialista na utilização de bambu e madeira em peças decorativas e funcionais. “O que fazemos é criar uma nova funcionalidade para aquilo que foi descartado e permitir que a tendência da sustentabilidade envolva e inspire a nossa arte, diminuindo a quantidade de resíduos no meio ambiente”, explica o idealizador do projeto.

Entre as raridades encontradas pela equipe do Sidnei, seis poltronas de um cinema da década de 50, completamente desfiguradas pelo tempo, foram recuperadas e ficaram novinhas em folha, prontas para a estreia de um filme nas telonas outra vez. Elas e outras peças feitas pelo grupo vão estar em exposição no Via Vale Garden, Shopping em curta temporada nos dias 18 e 19 de agosto, das 11h às 22h. No sábado, 18, o visitante ainda pode participar de palestras com a arquiteta especialista em Feng Shui, Raíza Pastorell, e com a engenheira florestal Jéssika Luane que fala sobre sustentabilidade corporativa e economia circular. No domingo, a conversa é com o artista plástico e mestre bambuzeiro Paulo Saloni que fala sobre as tecnologias associadas ao bambu.  “O nosso trabalho mostra como a arte pode contribuir com a natureza. Devolvemos para a casa das pessoas aquilo que um dia elas descartaram. Com criatividade tudo pode ser transformado, inclusive a consciência”, diz Sidnei.

Para a gerente de marketing do Garden, Bruna Marcon, o projeto vai ao encontro de uma das missões do shopping, a sustentabilidade. “Abrir as portas do Via Vale para esses profissionais com um trabalho admirável como o deles é apoiar uma iniciativa onde natureza e arte se completam. O resultado das peças feitas por esses artistas com certeza vai impressionar”, finaliza.

Nenhum Comentário

Deixe um comentário